Dicas para conseguir um emprego no exterior estando no Brasil

29 de Dezembro de 2016 14 minutos para ler

Muita gente que trabalha com TI vem para a Irlanda (ou qualquer outro país) na cara e coragem, normalmente com visto de estudante ou turista, para depois então aplicar para as vagas. Esta é uma estratégia arriscada, porém é muito válida, pois quando se está fora do Brasil você está em constante contato com o idioma estrangeiro, sem contar a possibilidade de fazer as entrevistas pessoalmente, o que simplifica e agiliza muito o processo.

Comigo a história foi um pouco diferente. Eu não queria correr o risco de vir para cá e ficar de braços cruzados, pois é muito caro se manter em país onde a moeda custa quase 4 vezes mais que a sua. Além disto, por estar casado, achamos mais seguro garantir um emprego antes de nos mudarmos, pois isto nos daria muito mais tranquilidade. Foi pensando nisto que traçamos nosso objetivo, montamos um plano, executamos e hoje estamos aqui, compartilhando um pouco do que aprendemos.

Cidadão europeu ou não

Se seu objetivo é imigrar para um dos países da união europeia, verifique primeiro se você tem direito à dupla cidadania de algum país da união. Conseguindo um passaporte europeu facilita muito o processo de imigração e contratação, além de te dar inúmeros benefícios dentro da Europa.

Caso você não tenha, não se preocupe, é possível conseguir o mesmo sendo apenas um cidadão Brasileiro, porém com um pouco mais de trabalho. Cada país terá sua peculiaridade, mas no caso da Irlanda você terá que receber uma permissão de trabalho, conhecido como Work Permit, para poder passar pela imigração. Para conseguir o Work Permit você terá que receber uma proposta formal de emprego, encaminhar toda a documentação ao departamento de trabalho, pagar a taxa de 1000 euros e esperar a decisão final, pois sua solicitação pode ser aprovada ou rejeitada. Não é tão simples, mas também não é impossível. Nós conseguimos e você também consegue.

O idioma estrangeiro

Independente do país que você esteja planejando imigrar, é muito provável que o inglês seja o idioma oficial utilizado no trabalho, mesmo em países que possuem o seu próprio, como a Holanda e Alemanha. Além do inglês ser o idioma mais usado em TI, muitas empresas europeias recebem pessoas de todos os cantos da europa e do mundo, então o inglês sempre acaba sendo adotado como o idioma oficial para o trabalho.

A nossa dica para quem é casado ou mora com alguém é mudar o seu idioma deste já, dentro de sua própria casa. Minha esposa e eu começamos a fazer isto uns 3 meses antes de começar a procurar emprego no exterior e esta foi a melhor decisão que já fizemos. Começamos um pouco envergonhados, com um vocabulário pobre e errando bastante, mas com o passar do tempo fomos ganhando mais segurança, aprendendo algo novo a cada dia e ficando cada vez mais confortáveis.

Se possível, faça isto. Quanto antes começar, melhor! Você estará praticando seu listening e speaking diariamente.

O fato curioso é que mesmo depois de nos mudarmos, continuamos a falar inglês aqui quando estamos sozinhos. Virou hábito!

Outra sugestão é assistir seriados e/ou filmes em inglês e sem legenda. Talvez você não entenda todas a frases, pode ser que perca um pouco o sentido das conversas, mas isto é só no começo, com o passar dos episódios começa a ficar mais fácil, até chegar ao ponto que se torna natural. Provavelmente nunca ficará tão confortável quanto assistir os filmes dublados, mas fica fácil notar a evolução do listening depois de um tempo.

Lembre-se que quando estiver em uma reunião em inglês não haverá legenda para te ajudar, então pratique muito! E cá entre nos, estudar assistindo séries é muito legal :)

Considero reading e writing o mais fácil de praticar, afinal quem trabalha com TI a mais tempo provavelmente já deve ter um nível intermediário para avançado, principalmente quem utiliza Stack Overflow e GitHub diariamente.

E é claro, não dá para deixar de comentar que nada dispensa um bom curso de inglês. Se for VIP, melhor ainda. Lembre-se que curso de inglês é um investimento e não uma despesa.

Saia da zona do conforto e arrisque!

Eu demorei bastante antes de começar a aplicar para vagas. Fiquei com receio do meu nível de inglês e do meu conhecimento técnico, mas se eu soubesse como seriam os processos, com certeza eu teria feito antes, muito antes!

A verdade é que a maioria das empresas não vão nem responder sua aplicação, o que eu acho uma péssima experiência. Então não adianta muito perder horas pensando se deve aplicar ou não para uma determinada vaga, depois esperar mais de 10 dias por uma resposta e nada da empresa responder. Por você ser Brasileiro e estando a milhares de quilômetros de distância, talvez não deem a mínima para você. Talvez a empresa não conhece como funciona os processos de imigração e por isto prefere nem responder. Empresas maiores, normalmente multinacionais, possuem mais conhecimento neste assunto e por isto tendem a ter maior probabilidade de contratar um estrangeiro.

Mas terão algumas empresas que irão te surpreender com um e-mail contendo: “Gostamos do seu perfil e queremos te conhecer melhor, podemos marcar uma entrevista para semana que vem?”.

Seja ela uma startup ou multinacional, você só vai descobrir se você tentar! A questão é: não se abale em receber um não. Continue a tentar.

Se você ainda não está 100% certo de que esta é a hora de realmente se mudar, seja qual for o motivo, você ainda assim pode aplicar para estas vagas só para praticar e ver como você se sai. Se te rejeitarem durante a entrevista, pelo menos você vai ter aprendido alguma coisa. Agora se você for aceito, é só rejeitar a oferta, simples assim. Ou se for muito boa, aceite! A questão é que participando dos processos de recrutamento mesmo quando não está procurando um novo emprego é um excelente forma de mensurar o quanto o mercado está procurando alguém como você.

Quando estiver decidido que a hora de se mudar chegou, você terá noção de como funciona os processos fora do Brasil, quanto o mercado está disposto a te pagar e se seu inglês é suficiente ou não.

Dicas para se preparar antes de aplicar

Minha sugestão é que os seguintes pontos sejam revistos antes de começar a aplicar para as vagas que você tem interesse.

Lembre-se que ao aplicar para uma vaga você estará competindo pela vaga não só com outros Brasileiros, mas também com Franceses, Russos, Indianos, Japoneses, etc. Vivemos em um mundo globalizado onde nós não somos os únicos com condições e sonhos de imigração, isto cria uma enorme diversidade cultural nas empresas, mas ao mesmo tempo cria um processo de seleção muito mais acirrado.

1) Quanto tempo leva para você estar pronto para se mudar? Já pensou que você terá que cumprir seu mês de aviso? Vender seu carro, casa, seus outros pertences, etc.?

Em algum momento na entrevista vão te perguntar quando você consegue começar a trabalhar. Então faça seu checklist de saída do país e se possível antecipe algumas atividades. As empresas sabem que uma mudança desta não é rápida, então não se preocupe em pedir dois o mais meses. Lembre-se que se você não possui cidadania européia você terá que aguardar sua autorização de trabalho ficar pronta, só isto pode levar mais de um mês.

2) Já fez as contas de quanto você vai gastar por mês com aluguel, alimentação, transporte, etc? Quanto seria o salário que você estaria disposto a aceitar para se mudar?

O quanto você vai gastar por mês depende do seu estilo de vida. A Irlanda, por exemplo, não estipula um valor mínimo de Euros que você precisa trazer durante a imigração, mas muitos países possuem, faça uma pesquisa antes para não ter uma surpresa depois.

O site numbeo é um bom começo para ter uma primeira noção de quanto custam as coisas em seu país de destino. Em breve pretendo escrever melhor sobre gastos mensais aqui em Dublin.

3) Adapte seu currículo

Não basta traduzir, também é necessário adaptar seu currículo. Faça questão de destacar cada contribuição e resultado que você trouxe para a empresa durante o tempo que trabalhou lá, isto conta muito sobre o quanto você é capaz de entregar valor através de seu trabalho. Inclua pelo menos uma linha explicando qual o segmento de atuação de cada empresa que trabalhou, pois isto muito ajuda os recrutadores a saber em quais ramos de atividade você tem experiência.

Uma dica valiosa é modelar seu currículo para cada determinada vaga. Por exemplo, se a vaga exige experiência com Jenkins e você já trabalhou com esta ferramenta antes, mesmo que há algum tempo atrás, você pode escrever seu histórico profissional de forma a dar uma ênfase nisto. Só não vale mentir :)

Procure uma boa agência de recrutamento que eles certamente irão te ajudar a elaborar o melhor currículo possível.

4) Atualize seu LinkedIn

O LinkedIn é uma ótima ferramenta para mostrar ao mundo sua experiência profissional e para criar conexões. O Brasil como um todo ainda não adotou complementamente o uso dele, mas aqui fora a realidade é outra. Portanto traduza seu perfil para o inglês e complete-o de forma que alguém que nunca te viu saiba com que tipo de projeto, tecnologias e processos você já trabalhou. O LinkedIn é seu currículo na internet, público e disponível para qualquer um visitá-lo, invista um bom tempo nele.

Recentemente foi liberado uma opção que te permite segmentar em quais cidades e área de atuação você está buscando uma vaga. Desta forma recrutadores de tal região poderão te encontrar com mais facilidade.

5) Prepare uma Cover Letter (ou várias!)

A Cover Letter é uma breve introdução sua, contendo sua ambição profissional, o que te chamou a atenção na empresa e porque você gostaria de fazer parte dela. Ela deve estar sempre ligada com a empresa em que você está aplicando, por isto é normal ter que fazer uma carta para cada empresa que estiver aplicando.

Procure saber um pouco mais sobre a cultura da empresa e utilize isto a seu favor, mostre que você fez seu dever de casa e pesquisou sobre a empresa antes de aplicar já na cover letter.

Este é seu elevator pitch, você precisa se vender em 2 ou 3 parágrafos.

6) Entrevistas por Skype ou ligação local

Grande parte das entrevistas acontecem por Skype, porém ainda existem algumas empresas/recrutadores que gostam de usar o telefone. Para evitar perder uma entrevista por não ter um telefone local, compre um número no exterior pelo Skype e coloque-o em seu currículo ou nos formulários de aplicação. O pagamento é mensal e custo é bem baixo, você pode cancelar quando não precisar mais.

Esteja preparado, pois quando alguém te ligar você terá que estar online no Skype para poder atender a ligação. Você pode baixar o App em seu smartphone, funciona muito bem! Foi o que eu fiz para conseguir falar com o pessoal da Irlanda :)

Dica de ouro, NUNCA, em hipótese alguma, peça desculpa pelo seu nível de inglês. Falou algo errado? Se enrolou? Continue falando como se nada tivesse acontecido. Os recrutadores sabem que você não é nativo e não esperam um inglês perfeito.

7) Se prepare para provar suas habilidades

Se estiver aplicando para alguma vaga de desenvolvedor, é provável que as entrevistas contenham testes de lógica de programação que devem ser resolvidos no ato da entrevista. Enquanto você pensa e digita, do outro lado da linha estará o entrevistador te questionando sobre o que e porque está fazendo de tal maneira. Esteja preparado para codificar fora de sua IDE favorita, os testes geralmente são realizados em algum site com editor online ou até mesmo o bloco de notas (na falta de um quadro branco).

Utilize os sites https://www.hackerrank.com/ e https://codility.com/ para praticar. Quanto mais testes você fizer, mais preparado você estará.

Outro tipo de teste muito usado é quando o entrevistador solicita que você desenvolva uma aplicação em X dias (a combinar), sendo que neste caso você terá mais tempo e recursos para desenvolver algo mais complexo e elaborado.

Aqui está um exemplo de um projeto que fiz durante um dos processos de seleção em que participei. Invista o tempo concedido para montar um projeto bem organizado, com um código limpo e fácil de entender, escreva testes automatizados sempre que possível, invista em uma documentação básica de como executar e utilizar o aplicativo. Só tome cuidado para não estrapolar, muitas vezes menos é mais!

8) Seja atraente

Não, você não precisa ser bonito(a).

A questão é que muitas empresas de TI valorizam MUITO quando você o candidato é um participante ativo de comunidades online, como GitHub, Stack Overflow, Google Developers Group, blogosfera, etc. Não precisa ser famoso e nem estar no ranking de algum site, mas só de contribuir — mesmo que de forma singela — com projetos e a comunidade já vai dar uma destacada legal em seu currículo, além de também estar ajudando ao próximo.

Invista um tempo neste assunto e mostre ao mundo o quão tecnicamente atraente você é, além de enriquecer seu currículo e montar seu próprio portfólio online, você estará fazendo parte de uma enorme rede de talentosos contatos que um dia poderão te surpreender.

9) E o mais importante, você gostou da empresa em que vai se aplicar?

Não saia aplicando em qualquer empresa só para poder sair do Brasil e depois se arrepender por estar perdendo tempo. Invista em seu futuro escolhendo um local que irá te proporcionar crescimento pessoal e profissional. Pesquise muito sobre a empresa, aproveite que vivemos na era digital e navegue por todo os sites e redes sociais, busque conhecer o máximo sobre ela, leia as notícias, pesquisa sobre quem trabalha lá, leia os reviews no Glassdoor.

A Irlanda, por exemplo, possui uma regra em que um imigrante deve ficar pelo menos 12 meses na empresa antes de conseguir uma nova autorização para trabalhar em outra empresa. Você não gostaria de queimar um ano de sua vida trabalhando em um local em que você não gosta, não é?

Onde procurar por vagas

Aqui está alguns dos sites que você pode procurar por vagas. Dê uma atenção extra às vagas que tenham visa sponsorship.

Específico para a Irlanda:

Ficou com alguma dúvida? Deixe sua pergunta ou comentário logo abaixo.

Um abraço! 

Este post faz parte da série Do Brasil para a Irlanda.