Escrevendo código ABAP pelo Eclipse ADT

21 de Março de 2015 4 minutos para ler

Eclipse ADT (ABAP Development Tool) é uma versão da IDE mais conhecida com complementos que permitem que possamos programar em ABAP fora do SAP. A SAP já alertou de que no futuro novos recursos exclusivos serão adicionados ao ADT. Então este será o futuro, queira você quer ou não. Quanto antes você se acostumar, melhor. Vejamos alguns outros motivos para optar pelo uso do Eclipse ADT.

  • Abas: Se você também odeia programar com aquelas várias janelas do SAP aberta, seus problemas definitivamente acabaram. A base do Eclipse é trabalhar com abas para tudo e com o ABAP não é diferente. Podemos abrir inúmeras abas e navegarmos entre diversos objetos com facilidade. Diga adeus ao limite de telas do SAP, pois você pode abrir quantos objetos você quiser. É possível também abrir duas abas lado a lado, permitindo comparar e copiar código com maior facilidade.

  • Apenas código: Uma das características que mais odeio no workbench é que alguns objetos são apresentados em forma de um formulário. Já viu que para adicionar um novo parâmetro em uma função você precisa acessar a aba de parâmetros e preencher um ALV? É quase um gerador de código. Pior ainda é criar uma classe. Quem aqui nunca se perdeu navegando na tela da se24 na procura por um método e seus parâmetros? É tudo muito confuso. Parece que o workbench tentou facilitar, mas programadores querem ver código e o Eclipse ADT faz exatamente isto. Tudo o que você vai fazer aqui é ler e escrever código e mais código.

  • Recursos nativos: O editor do Eclipse já vem com inúmeros recursos e muitos destes estão habilitados para uso em ABAP também. Renomear, bookmark, depuração, refatorar, lista de tarefas, janelas personalizadas a seu gosto, ambiente de execução de testes unitários, entre outros.

Mas nem tudo são flores. Alguns recursos do workbench ainda não estão disponíveis. Não é possível por exemplo visualizar objetos do dicionario de dados, editar elementos de texto, entre outros. Nestes casos o Eclipse ADT é inteligente o suficiente e abre automaticamente o SAPGui já na tela que possui a informação solicitada. Sabe o que é o melhor? Nestes casos SAPGui é aberto dentro de uma aba do próprio Eclipse, é totalmente funcional e bem prático.

Lembrando que por mais que estejamos fora do SAP, todo objeto editado é salvo diretamente no banco do SAP, não existindo uma cópia local dos arquivos. Mas não me surpreenderia se um dia o Eclipse ADT começar a oferecer suporte à programação offline. Poderíamos fazer uma copia local de alguns programas e editar mesmo estando distante do SAP. Quando a conectividade for re-estabelecida os objetos seriam incronizados. Não seria ótimo?

Há também uma restrição quanto à algumas funções do ADT que só estão disponíveis para determinadas versões do ABAP. A SAP mantêm esta lista de funcionalidades e qual a versão necessária.

ADT Feature Availability Matrix for AS ABAP Releases

Instalação e Configuração

Para começar precisamos fazer o download do Eclipse. Vamos baixar a versão chamada de Luna através do endereço oficial http://www.eclipse.org/downloads. Para usar o Eclipse basta extraí-lo do arquivo compactador e clicar no executável, não sendo necessário fazer uma instalação. Verifique também se você tem instalado o Java 1.7 e certifique-se de que a arquitetura do Java (32 Bit ou 64 Bit) corresponde ao do Eclipse.

  1. Com o Eclipse aberto, acesse Help -> Install New Software….
  2. Clique em Add… e preencha o campo Location com https://tools.hana.ondemand.com/luna e clique em Ok.
  3. Selecione ABAP Development Tools for SAP NetWeaver e clique em Next >.
  4. Continue avançando, confirme os termos de aceite e clique em Finish.
  5. Aguarde enquanto o Eclipse faz o donwload e instalação dos componentes escolhidos.

Vamos começar criando um projeto do tipo Projeto ABAP. Logo no começo já precisamos informar em qual sistema queremos conectar. Ao clicar em Procurar são listadas todas as mesmas entradas que estão no SAPGui. Assim fica fácil, não é? Siga a tela de passo-a-passo e informe o mandante, usuário e senha. Cada Projeto ABAP corresponde à um sistema SAP, se você tiver que desenvolver em múltiplos sistemas, crie um projeto para cada um deles.

Agora já estamos prontos para começar a programar. O uso do Eclipse ADT é bastante auto explicativo e de fácil entendimento. Na esquerda temos a lista de pacotes e seus objetos, basta navegar até o objeto de interesse e clicar duas vezes. O código fonte do objeto é aberto na janela principal e a partir daqui é só editar o código a vontade. O atalho para ativar o objeto atualmente aberto é CTRL+F3, mas também podemos ativá-lo através menu de contexto clicando com o botão direito no código. Outra opção é o CTRL+SHIFT+F3 que abre uma lista de todos os objetos pendentes de ativação.

Espero que tenham gostado deste artigo o tanto quanto gostei de escrevê-lo. A minha sugestão é que comecem a se acostumar com a ideia de usar Eclipse, pois esta será a ferramenta unificada da SAP para qualquer tipo de desenvolvimento. Já é possível usar o Eclipse para ABAP, SAPUI5, WebDynpro, SAP PI, SAP MII entre outras. Vai ficar de fora desta? Quero ver todo mundo usando Eclipse de agora em diante.

Um grande abraço!