Audax Floripa 2014. Mais 200km para o currículo.

4 de Maio de 2014 3 minutos para ler

Meu objetivo este ano era completar apenas os 200km do Audax Joinville, mas gostei tanto da brincadeira que resolvi fazer também os 200km de Florianópolis. Nunca havia feito a volta na ilha de Floripa e esta era uma excelente oportunidade para pedalar com a turma, completar mais um brevet e ainda fazer este fantástico passeio pela ilha da magia.

Saimos de Joinville ainda no sábado pela manhã com a Van do Vitório e seguimos direto à ilha para retirada do kit, almoço e check-in no Hotel.

O período da tarde passou muito rápido, pois almoçamos tarde e ainda fizemos um passeio pelo shopping para comprar suprimentos para o pedal. Quando chegamos no hotel para descansar já estava quase na hora de sair para o congresso.

Fomos ao congresso técnico e aproveitamos para encher o estômago de massa em um rodízio de pizza. Mal consegui dormir a noite, parte disto por conta da ansiedade e também da quantidade de pizza que comi. Mesmo com sono, acordei às 3:30 e me arrumei rapidamente. Segui as dicas do Marcio e desci a bicicleta o mais cedo possível para evitar filas no elavador. A dica foi muito valiosa, pois alguns minutos depois já era possível notar o congestionamento de bicicletas descendo pelo elevador. Foi uma cena bastante incomum ver aquela quantidade de bicicletas no Hall do Hotel. Tive que registrar isto.

Saímos do hotel às 05:00 após tomar um delicioso e reforçado café da manhã. Apesar de fazer frio, o clima estava muito bom para pedalar. Nos juntamos aos mais de 700 ciclistas e, como é de costume, a largada foi bastante pontual, com um atraso mínimo de 5 minutos.

Foi a primeira vez que pedalei na beira-mar e posso dizer que deu um gostinho de quero mais. As fotos ficaram ruins, mas posso garantir que o visual é de tirar o fôlego, ainda mais de bike, onde fica mais fácil captar cada detalhe.

Formamos um pelotão de 5 pessoas, sendo 4 de Joinville  (Eu, Marcio, Tamires e Paulo) e uma de Florianópolis (Daniela) – que se juntou ao grupo durante o percurso. O Limas havia comentado que os que mais aproveitam o Audax são os que chegam por último, este sim curtem cada minuto do passeio. Levamos a dica a sério e resolvemos não afundar o pé e sim curtir o visual e a companhia dos amigos.

Não tivemos nenhum imprevisto com pneu furado ou problemas mecânicos. Fiquei surpreso, pois em um grupo deste tamanho é bem comum aparecer um furo aqui ou ali. Será que estavam todos com fita? Este negócio funciona mesmo!

Terminei a prova muito mais exausto e dolorido do que na edição de Joinville, mesmo não tendo uma serra para subir, haviam diversos trechos de sobe e desce, sem contar o vento contra que pegamos em alguns trechos. Tive dores no joelho pela primeira vez durante um pedal, o que me deixou bastante preocupado, já que tenho um histórico de problemas neste local. Mas como estávamos no final a empolgação tomou conta e a dor foi ficando em segundo plano.

Seguimos em um ritmo mais lento devido ao cansaço e terminamos a prova em 12h30m, 1 hora a mais do que o meu tempo no Audax Joinville.

Se valeu a pena? É lógico. Olha este visual que nos acompanhou nos últimos km.