Audax Joinville 200km. Agora foi!

2 de Abril de 2014 4 minutos para ler

Se o título post anterior era Audax Joinville 200km. Agora vai!, este eu devo chamar de agora foi!

Concluí a tão sonhada prova do Audax 200km, aquela que ano passado não me senti confiante o suficiente para participar.

Assim como outros passeios longos que já fiz, fiquei ansioso antes da largada, dolorido durante o trajeto e chateado na chegada. Chateado? Sim, chateado por ter acabado.

Algum tempo atrás assisti a entrevista do Prof. Clóvis de Barros Filho no programa do Jô (veja aqui) sobre felicidade. Clóvis define que o momento de felicidade é o momento em que você desejaria a eternidade. Aprendi a gostar tanto destes passeios que muitas vezes não dá vontade de parar, seja debaixo de chuva ou sol, sozinho ou acompanhado, pedalar tem sido o meu momento de felicidade. Não vou exagerar, pois eternidade é muito tempo, mas quanto mais tempo passo pedalando, mais eu gosto.

Antes da prova fiz a troca do meu pneu CST Rush 1.95 por um CST City Traveller 1.5 + fita Anti-Furo TecTire. Confesso que não senti diferença na substituição do semi-slick pelo slick, mas apenas um pedal não é suficiente para chegar a uma conclusão. Para minha felicidade não tive nenhuma surpresa com furos, não sei se foi sorte ou se a fita anti-furo fez efeito. Prefiro acreditar que tenha sido a fita.

Fiz a prova sem me apressar, a média ficou confortável do início ao fim, tudo para não sofrer por desgaste. Cheguei no Posto Bruderthal (PC1) junto com um grupo grande, composto por alguns amigos que participaram comigo do Desafio 100km no ano passado e outros vários ciclistas que eu não conhecia. Saí do PC1 sozinho e segui assim até perto da Lanchonete Rio da Prata, na Dona Francisca, onde me juntei com um outro grupo de amigos de Joinville até o pé da serra, onde normalmente cada um segue em seu próprio ritmo.

Parei pela primeira vez no famoso caldo de cana que fica logo após a primeira subida íngreme da serra. Degustei um caldo de cana que me deu energia para subir o restante da serra como eu nunca havia subido antes. Foi uma das primeiras vezes que subi sem dores nas costas, acredito que tenha sido a adrenalina, pois vi muita gente descendo enquanto eu ainda estava subindo. O psicológico contou muito nesta hora, pois a cada momento eu pensava que logo eu estaria do outro lado da pista curtindo a descida.

Cheguei no Mirante da Serra (PC2) às 10:40 e aproveitei para descansar e comer muitos pães com geleia, melancia e outras frutas. Devo ter ficado quase 30 minutos descansando até que resolvi descer junto com o Luiz Fernando, um grande parceiro de treinos.

Na descida aproveitamos para pegar um vácuo com o famoso Pereirinha. Fomos assim até o posto Rudnick, onde ele parou para almoçar enquanto eu e o Luiz seguimos viagem. Chegando em Garuva o Luiz sugeriu “brincarmos com o nosso cérebro” e parar para comer somente na volta, pois naquele momento já estaríamos mais tranquilos por saber que dali em diante só faltaria o retorno para Joinville. Partimos em um ritmo constante até o retorno antes de Itapoá, descansamos e voltamos para Garuva. Conforme combinado, fizemos uma parada mais longa para abastecermos o estômago.

No retorno passamos pela Estrada Bonita (PC3) e aproveitei para tirar uma foto com o Pereirinhaum Super Randonneur — que fez os 200km parecerem um passeio ciclístico. Seguimos direto para o Centreventos na companhia de outros amigos de Joinville. Concluímos a prova em aproximadamente 11h30min, quase 2 horas antes do tempo limite.

Fiquei satisfeito com o resultado, afinal não é todo Audax 200km que tem uma altimetria como a desta edição. Já aproveitei o embalo e me inscrevi no Audax Floripa 200km que vai acontecer em 27/04/2014. Vou participar pelo trajeto e não pelo desafio, pois nunca fiz a volta na ilha de Florianópolis. Esta será uma ótima oportunidade de unir o desafio ao passeio e às amizades.

Espero que isto possa servir de incentivo para quem tem vontade de fazer o Audax. Posso afirmar que vale a pena!

Até a próxima!